Espaço Cuidar

Clínica de Psicologia Existencial
caminho_4

Esses são dois conceitos fundamentais para entendermos o pensamento deste filósofo.

Começando a pensar neles, sem pretensão de esgotar o assunto, o ontológico se dá sempre em um horizonte amplo de possibilidades, na verdade, em um horizonte infinito de possibilidades, e ele não é estático, ele é movimento. Ontológico refere-se ao “ser”, e vamos entender aqui “ser” como possibilidade. Um exemplo muito rotineiro: uma pessoa que acaba de acordar e precisa escolher uma roupa com a qual sairá para o trabalho, quer saber como está o clima lá fora. Então, ela terá algumas possibilidades para realizar essa escolha: ela pode abrir a janela e observar como as pessoas estão vestidas, para saber se está frio ou calor; ela pode ligar a televisão e ouvir a previsão do tempo; ela pode acessar a internet e entrar em um site que traga essa informação; ela pode perguntar como está o clima para alguém que acaba de chegar em casa. Todas essas possibilidades pertencem ao horizonte ontológico, ao horizonte de possibilidades infinitas. O fato desta pessoa escolher em tal dia ligar a televisão para saber a previsão do tempo não significa que ele sempre terá que fazer a mesma escolha, ou seja, no dia seguinte ele pode abrir a janela e observar a maneira como as pessoas estão vestidas na rua.

No momento em que se escolhe uma possibilidade, todas as outras deixam de existir, ao menos “naquele momento”.

Ressaltando: a questão do “ser” para a filosofia está situada no horizonte ontológico, pois “ser” significa possibilidades, e como já foi dito, essas possibilidades são infinitas. Mas quando eu enuncio: “O homem é um ser biopsicossocial”, estou engessando essa ideia de ser enquanto possibilidades em uma única maneira de conceber esse homem. É justamente isso que faz a ciência, é assim que opera o pensamento metafísico. Essa afirmação está localizada no contexto ôntico, pois entre todas as possibilidades, essa é a escolha enunciada, mas não é a única.

“Escolher” é movimento, verbo: ontológico (refere-se ao ser)

“A escolha” é o dado, o substantivo, o estático: ôntico (refere-se ao ente)




Dissemine conhecimento! Compartilhe:
Indique! Envie esse conteúdo por e-mail para um amigo! Indique! Envie esse conteúdo por e-mail para um amigo!

11 Comentários para “O que significa ôntico e ontológico a partir do pensamento Heideggeriano?”

  1. Sua explicação foi excelente, muito direta e didática. Sou especialista em literatura e estou postando uma matéria em meu blogue. Precisava usar uma das duas palavras corretamente. Escolhi “ôntico”, pois me refiro ao ser humano, concretamente, desde suas origens, sua condição de perplexidade diante de suas circunstâncias. Espero ter acertado. Parabéns. Convido-os a irem até lá. Colocarei o espaço em meus favoritos.
    Eliane F.C.Lima

    Eliane F.C.Lima

  2. Olá Eliane!
    Obrigada por seu retorno, fico muito satisfeita em saber que pude contribuir para o texto em seu blog. Aliás, estive visitando os seus três blogs e também já os adicionei em meus favoritos. Parabéns pelo trabalho!

    Beijos!

    Anna Paula Rodrigues Mariano, Psicóloga e Psicoterapeuta Existencial

  3. Realmente, muito legal, já disponibilizei no face, gostei mesmo, bem didático. Walery (doutorando em Administração – UFPE)

    walery

  4. Obrigada pelo retorno e pela indicação no face Walery, é sempre muito bom estar em relação e compartilhar nossos conhecimentos!

    Um forte abraço,

    Anna Paula Rodrigues Mariano, Psicóloga e Psicoterapeuta Existencial

  5. estou estudando psicologia 6º, sinto um prazer imenso em estar na feno. obrigado por compartilhar dos saberes da feno.

    michael

  6. Que bom saber disso Michael!

    Espero que o conteúdo do site continue sendo útil aos seus estudos.
    Venha nos visitar mais vezes!!

    Um grande abraço,

    Anna Paula Rodrigues Mariano, Psicóloga e Psicoterapeuta Existencial

  7. estou lendo o livro o ser e o tempo de heidegger. Porem, acredito que para entender o trabalho de heidegger é preciso algum conhecimento prévio. Muito complexo este livro. O que vc sugere?

    edson lima

  8. Anna Paula, estou grata pela possibilidade de compreensão que me oferecesse. Sou estudante de psi e tenho um apresso pela fenomelogia-exitencial, entretanto apesar de ter lido, anteriormente, textos concernentes ao ontico e ontologico, nesse momento o conceito “fugiu”. Recorri ao seu blog e pude de forma rápida “recuperar a ideia”. Parabéns pela ‘sintetização’ conceitual.

    Itala Daniela

  9. Excelente a sua explicação. Simples, direta e clara. Parabéns.

    Ronaldo

  10. Ronaldo, obrigada pelo comentário!

    Anna Paula Rodrigues Mariano, Psicóloga e Psicoterapeuta Existencial

  11. No dicionário comum, não estava alcançando a diferença entre eles. No seu simples e por isso elucidativo texto, ficou muito claro os significados e as diferenças. Obrigada!

    Andrea Alves

Gostou desse Conteúdo? Comente!